O planejamento da reforma de uma casa colabora para o bom sucesso no resultado. Detalhes que muitas vezes passam despercebidos podem influenciar também. Os famosos irmãos gêmeos Drew e Jonathan Scott, mais conhecidos como Irmãos à Obra, apresentadores de um reality no Discovery, estiveram no Brasil e deram dicas para seus fãs sobre reforma. Confira as dicas que foram divulgadas pelo site Gazeta do Povo:

Dinheiro:

““A primeira delas é: seja realista em relação ao orçamento familiar”, aponta Jonathan. Segundo ele, isso contribui para garantir a satisfação com o projeto. Caso contrário, a frustração será quase certa.”

Especialista:

Chame um especialista para executar o trabalho. “As pessoas querem ser seus próprios empreiteiros, e isto é um erro”, aponta Drew. E este erro, por sua vez, pode ter reflexos sobre o orçamento. Caso as coisas saiam erradas, além do retrabalho e do atraso no cronograma, será necessário comprar mais materiais para consertar o problema. E ainda há o risco de vícios ocultos ficarem escondidos na estrutura e acabamentos, aparecendo somente anos depois – o que irá demandar uma nova obra.

Todos devem participar do processo:

“As famílias devem lembrar sempre que muitas pessoas moram na casa, e que todas elas devem participar, dizer o que esperam com a reforma”, sugere Jonathan. Isso inclui as crianças que, segundo ele, também podem ajudar na tomada de decisões. O resultado deste diálogo será um lar que atende as necessidades e une gostos individuais e familiares de maneira harmoniosa.

Mantenha o foco:

Quem nunca acrescentou etapas ao projeto original da obra que atire a primeira pedra. “As pessoas se entusiasmam muito quando tomam a decisão de reformar e vão acrescentando itens ao projeto. Se não organizarem [e focarem] no que querem, irão gastar muito mais dinheiro do que o previsto”, alerta Drew. Além do orçamento, isto também compromete o cronograma, e será necessário passar mais dias em meio à poeira e desordem gerada pela obra.

Experimente:

Não tenha medo de experimentar novos materiais e tecnologias construtivas. “As pessoas gostam de fazer o que estão acostumadas a fazer. Educá-las [às novas possibilidades de materiais] leva tempo e demanda energia até que se abram a testar algo novo”, constata Drew. Entre as vantagens desta atitude, os irmãos Scott apontam a maior eficiência dos sistemas e materiais e seu melhor custo-benefício, no longo prazo. “Eles podem ser mais caros no momento da aquisição, mas o investimento compensa”, acrescenta Jonathan.

Pequenas mudanças têm grandes resultados:

Para quem não dispõe de orçamento – ou ânimo – para encarar uma obra, os irmãos Scott lembram que pequenas melhorias são capazes de trazer grandes resultados. A reorganização dos móveis e uma boa pintura das paredes estão entre elas, segundo Jonathan.

Não existe mágica:

Uma das impressões que os espectadores dos Irmãos à Obra podem ter é a de que eles realizam uma reforma em um toque de mágica. “O que vocês veem na TV é uma parte do processo, pois concluímos três ou quatro cômodos para o programa e depois todo o restante da casa com orçamento e cronograma separados”, conta Jonathan. “Na nossa empresa, o cronograma costuma ser três ou quatro vezes mais longo do que o do programa”, completa Drew.

Segundo eles, isso ocorre porque eles dispõem de onze equipes de trabalho para o programa, além de terem firmado em relacionamento com a prefeitura e os inspetores, que aprovam as licenças da obra.

“A casa deve facilitar a vida de quem vai morar nela. Até mesmo uma pequena casa pode ter espaço, ser convidativa”, resumem.

Fonte: Gazeta do Povo