Muitos arquitetos acreditam que podem mudar o mundo e espalhar mensagens positivas pelos quatros cantos através de suas propostas. A palavra ‘ecumênico’ significa ‘o mundo todo’. Então, qual o programa de necessidades que melhor se adequaria a essa ideia, que não os próprios templos ecumênicos?

Projetar um edifício é sempre uma tarefa difícil. E quando seu cliente for… Deus? Uma igreja ou capela ecumênica é um espaço dedicado a todos. É um ponto de encontro, de diálogo e união entre fiéis e ateus. No passado, diferentes religiões já puderam usar o mesmo edifício – embora não no mesmo período de tempo. Hoje, diante de tantos conflitos humanos, os templos ecumênicos são um bom exemplo de incentivo a paz e harmonia entre as diversidades.

Veja, logo abaixo, três belos exemplos de arquitetura ecumênica!

Templo Bahá’í

Projetado pelo canadense Siamak Hariri, o templo Bahá’í está localizado na região de Penalolen, próximo à Santiago, no Chile. De arquitetura simples e atraente, a proposta difere de qualquer outro espaço religioso já visto nas Américas. Sua criação foi fundamentada nos preceitos de uma fé monoteísta, tendo em vista abrigar pessoas de todas as religiões, raças e gêneros, como iguais. Um local de fé, inclusão, oração, introspecção e meditação, capaz de acomodar até seiscentas pessoas.

O templo chileno Bahá’í possui um formato eneágono orgânico, em espiral ovalada. Suas nove entradas, em intervalos regulares, simbolizam diferentes direções do globo e chamam os visitantes à contemplação, livre circulação e aproveitamento do espaço. A sensação de elevação espiritual se dá através da luz natural, que trespassa os véus da cúpula de vidro fundido e mármore translúcido, remetendo aos flocos de neve vistos nos Andes.

12-e-23

13-e-20

O monumento conta com uma superestrutura em aço, com cerca de oitocentos e cinquenta elementos individuais em cada segmento e uma subestrutura em concreto na base. Elas são suportadas por placas de isolamento sísmico – necessárias em zonas como a que o templo foi fixado. Ao redor da construção, o projeto paisagístico de Juan Grimm, repleto de espelhos d’água e pastos nativos resistentes à seca que fazem parte do programa de resgaste ambiental local conduz os visitantes por caminhos curvilíneos coloridos.

 House of One

O primeiro templo multireligioso, ou seja, capaz de reunir, sob o mesmo teto e ao mesmo tempo, fiéis de diferentes religiões, será localizado na Praça Petriplaz, no centro histórico de Berlim, na Alemanha. Visando atrair principalmente os jovens, que frequentam cada vez menos as igrejas, o escritório de arquitetura Kuehn Malvezzi projetou esse verdadeiro centro de oração e aprendizagem.

Com conclusão prevista ainda para este ano, 2017, o House of One será erguido sobre ruínas de três igrejas anteriores, sendo uma delas datada do período neogótico, por volta de 1850. O novo edifício, em tijolos, terá três dependências separadas, adaptadas para a realização de cultos de diferentes religiões. Cada sala formará uma das fachadas do edifício, de características únicas e resultantes de aberturas inspiradas nas crenças de cada doutrina. A nave central, abobadada e quadrada, terá uma torre alta, iluminada por uma grande cúpula, que receberá luz zenital.

32-e-35

38-e-40

Templo da Paz

Projeto de MCA Manoel Coelho Arquitetura & Design, essa pequena capela ecumênica, conhecida como Templo da Paz, está localizada dentro do Centro Universitário Positivo, em Curitiba, Paraná. Concluída em 2002, sua estrutura em aço, de formato poliédrico, como um cristal, destaca-se em meio à natureza e aos edifícios do campus. É um espaço reservado para que alunos e funcionários possam encontrar um momento de paz e meditação, desvinculado de qualquer doutrina, mas voltado aos céus.

O Templo da Paz parece flutuar sobre fundações em balsas, dando suporte aos tubulões, que apoiam a estrutura. O visitante acessa a construção através de uma passarela metálica, de malha de aço, por onde se se pode ver a água do lago, logo abaixo. Mesmo o piso amadeirado, em seu espaço interior, está apoiado diretamente a essa estrutura metálica.

42

46-e-49

Do lado de fora da capela, o pavimento da praça seca estampa uma rosa-dos-ventos. A beleza estética do conjunto é reforçada pela bela fachada da arquitetura, fechada por vidros e brises em alumínio, em planos assimétricos. O detalhe encantador da pomba da paz, em um vitral azul, reforça a mensagem de união, respeito e igualdade, pregada dentro da comunidade acadêmica. (Blog da Arquitetura)